8 de fevereiro de 2013

Nota em solidariedade aos 72 estudantes denunciados e ao movimento estudantil da USP

Estamos vivenciando um período de ataques aos direitos democráticos conquistados por anos de lutas dos trabalhadores e da juventude. Assassinatos recentes dos companheiros sem terra, dos sem teto, militantes LGBT, indígenas e da juventude negra nos bairros empobrecidos das grandes cidades, demonstram que, do ponto de vista da democracia, o Brasil ainda deve muito ao seu próprio povo. A espetacularização de julgamentos essencialmente políticos por parte da “grande” mídia, o linchamento público de dirigentes partidários e lideranças dos movimentos sociais, apontam que as nossas tarefas são muitas e que a vigília deve ser permanente.

Nesse sentido, nos solidarizamos aos 72 estudantes denunciados pelo Ministério Público de São Paulo e ao movimento estudantil da USP. Tal ataque não está isolado de um contexto mais amplo de uma ofensiva conservadora contra os movimentos sociais. Devemos combater com todas nossas forças a judicialização da política já que, o Poder Judiciário, insusceptível de qualquer tipo de controle social, é um terreno hostil aos trabalhadores e à juventude. Dentre todas as acusações feitas aos estudantes, como as de dano ao patrimônio público, pichação, desobediência judicial, a que mais chama a atenção é a de formação de quadrilha, tipo penal utilizado para criminalizar o MST, por exemplo, nos dias de hoje e, para descaracterizar movimentos de contestação em geral, como no período da ditadura civil-militar, quando o Judiciário foi conivente em face do massacre contra os estudantes organizados do período.

Diante desse cenário, conclamamos os estudantes universitários do Brasil para que possam organizar atos em defesa dos estudantes e dos movimentos sociais, nos mais variados espaços, dentro e fora das universidades. Destacamos que este tema deve estar na agenda da Jornada de Lutas da Juventude proposta para março e que a União Nacional dos Estudantes se debruce sobre a pauta e mobilize as suas bases em defesa dos trabalhadores e da juventude!

Salvador, 07 de fevereiro de 2013.

Coletivo O Estopim!

Um comentário:

  1. Suuuper concordo com vocês.19 de março de 2013 00:39

    Nisso aí eu suuuper concordo com vocês. L-A-M-E-N-T-A-V-E-L o que fizeram com esses estudantes.

    Fernanda, Serviço Social.

    ResponderExcluir