6 de dezembro de 2015

Organizando posso desorganizar: Ninguém Foge da Lama Tóxica da SAMARCO




Caio Neves Teixeira*

Após dez longas horas de estrada, me estabeleço em Mariana-MG para compor e ajudar na comunicação da brigada de solidariedade promovida pela Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares, a equipe era composta também por uma Psicóloga. O objetivo inicial era realizar um diagnóstico de saúde e da real situação do meio ambiente e das populações violadas pelo desastre do rompimento da barragem de rejeitos, a Fundão da mineradora SAMARCO.

6 de novembro de 2015

Notas sobre a Síria


 
 
Por Diego Rabelo*

O desenrolar da guerra na Síria basicamente aponta um grande fato novo. Longe dali, no 

espaço aéreo do Egito, um avião civil russo caiu. O ISIS assumiu a “autoria” de um suposto 

atentado ao avião. Estranhamente, EUA e Inglaterra se apressam a dizer que há indícios de que 

o avião fora abatido. De sua parte, Rússia e Egito condenam a avaliação precipitada das 

potências ocidentais.

28 de outubro de 2015

PEC 395 não! Nota do Coletivo O Estopim!

O Coletivo O Estopim!, construído por militantes que atuam em Universidades e Escolas na Bahia, vem externar o seu mais profundo repúdio a aprovação da PEC 395/14 que acaba com a gratuidade em cursos públicos de especialização, extensão e mestrado profissional. A PEC (Proposta de Emenda Constitucional) deve ser votada em 2º turno na Câmara e depois seguir para o Senado.
Essa proposta constitui, na prática, a consolidação de um projeto em curso: a privatização da Universidade Pública. Em nossa avaliação, a PEC 395/14 coloca em xeque o tão propalado lema do Governo Federal "Pátria Educadora". Em nossa opinião, é um precedente que abre caminho para novas cobranças em outras áreas e visa intensificar a lógica de uma universidade privatista e de modelo gerencial visando lucros e formando supostos técnicos para o mercado sem uma preocupação real com o ensino, a pesquisa e extensão.

27 de outubro de 2015

Jornada de Agroecologia da Bahia!

Ocorrerá nos próximos dias, mais precisamente entre 29 de outubro e 01 de novembro, a IV Jornada de Agroecologia no Assentamento Terra Vista, município de Arataca, sul do estado. Milhares de estudantes, pesquisadores, indígenas, quilombolas, sem terra participam deste fundamental espaço de diálogo e organização de lutadores e lutadoras na Bahia! Nós, do Coletivo O Estopim! estaremos presentes!

Há braços de luta!

18 de outubro de 2015

O que está por trás da euforia dos analistas militares norte-americanos?

*Diego Rabelo

Entre as milhares de coisas que estão sendo jogadas no atual conflito sírio uma delas, em especial, passou a ser tratada nos últimos dois dias. A demonstração de força do exército russo e seus precisos ataques aéreos as bases do Estado Islâmico, em duas semanas, surtiram muito mais efeito do que os meses de ataques realizados pela coalizão liderada pelos EUA. A eleição de Putin fatalmente incorreria em atos como esse e, demonstrar os músculos do seu poderio militar é um jogo de gato e rato com vários objetivos.

13 de outubro de 2015

Manifesto de fundação: SOMOS POVO SEM MEDO

O mundo vive sob o signo de uma profunda crise do capitalismo. Medidas de austeridade econômica dominam a agenda política, multiplicando desemprego, miséria e redução dos direitos sociais. Por outro lado, os banqueiros comemoram cada aniversário da crise, aumentando seus já exorbitantes lucros. Evidencia-se a crise de uma época e que não é apenas econômica. É uma crise em várias dimensões: da representação política, do alargamento do abismo social entre ricos e pobres e da destruição do meio-ambiente.
Neste cenário, o Brasil está colocado diante de uma encruzilhada, um momento em que as velhas soluções não funcionam mais: este sistema político é incapaz de resolver os grandes conflitos da sociedade e o povo não aceita passivamente pagar a conta da crise.Dos caminhos que construiremos a esta encruzilhada dependerá o futuro de nosso país.

1 de junho de 2015

MOÇÃO DE APOIO À GREVE DAS(OS) TRABALHADORAS(ES) EM EDUCAÇÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS


Após reuniões nacionais do ANDES-SN (16/5) e da FASUBRA (25/5) que aprovaram greve e com o anúncio do governo Dilma Rousseff de corte de 9,4 bilhões na educação, Professores e Técnicos-Administrativos de diversas Universidades do país inclusive a Universidade Federal da Bahia (UFBA) declararam nesta quinta- feira (28/5) greve por tempo indeterminado.
Para o PROIFES e para o MEC, o momento não é para a paralisação. O Ministério da Educação criticou a decisão pela greve, alegando que não houve um amplo diálogo prévio. Apesar do corte bilionário, a Educação será uma das áreas que vão manter gastos acima dos patamares de 2013. Os cortes são uma tentativa do governo de sinalizar ao mercado que irá cumprir a meta de superávit primário.
Nós do Coletivo O Estopim-BA apoiamos à greve das(os) trabalhadoras(es) em educação das Universidades Federais, por entender que nos últimos anos, passamos por uma imensa expansão das Universidades Federais do Brasil, mas essas políticas vieram cercadas de contradições, e hoje nos deparamos com problemas como, obras inacabadas, falta de professores e servidores, precarização das condições de trabalho, terceirizações e dificuldades de permanecia em geral. Atualmente, a conjuntura nacional e internacional passa por uma recessão econômica, e o governo, seguindo na direção contrária dos votos que o elegeram democraticamente, se submete ao capital internacional e a iniciativa privada, apontando inclusive para cortes de direitos sociais e trabalhistas. 

A redução de verbas na educação acentua as contradições do processo de expansão universitária, para além se ser um golpe aos e às estudantes, as(aos) educadoras(es) e à classe trabalhadora, que ainda enfrenta dificuldades no acesso à educação superior, reverberando diretamente nas nossas condições de trabalho e estudo, prejudicando sobretudo os setores sociais mais sensíveis da UFBA e de todas as IFES: as e os estudantes em condição de vulnerabilidade socioeconômica. Diante disso, exigimos que o governo não só priorize a garantia dos direitos já conquistados mas que avance nas políticas públicas que beneficiam a classe trabalhadora e setores marginalizados historicamente.

 Nós do Coletivo O Estopim repúdiamos à situação nacional de negligência à educação,e entendemos que a greve é um instrumento legítimo de luta da categoria e é colocada como alternativa desta, para conquistar direitos trabalhistas e melhoria no serviço público, acreditamos que, para que haja mudanças profundas na sociedade brasileira, precisamos transformar a educação, garantindo sua democratização, condições de permanência, qualidade e valorização de seus profissionais.Lutaremos juntos com as(os) trabalhadoras(es) para revertermos os cortes na educação e contra a onda conservadora que atinge o país.
“Nenhum passo atrás que não seja para tomar impulso."
Che Guevara

3 de abril de 2015

Breves comentários sobre questões políticas e econômicas

*Por Diego Rabelo

O mundo ainda sente o impacto da quebra do subprime nos EUA, em 2008, e a nova ordem econômica desenvolvida desde então. Na Europa, a zona do euro segue tateando em terrenos instáveis com a crise grega que promete contagiar em grau superior Portugal e Espanha. O deslocamento dos investimentos atraídos da União europeia e dos Estados Unidos para os emergentes é produto de uma taxa de juros alta e retorno financeiro seguro. Contudo, há uma recuperação, mesmo que disforme, dessas economias o que tem provocado em alguma medida fuga de capitais.

25 de março de 2015

Lava Jato: a visão distorcida dos fatos


*Caio Teixeira
Iniciou-se a operação Lava Jato em 17 de marco de 2014 para investigar esquemas de corrupção, desvios, superfaturamento em contratos da Petrobras. Desde então a Petrobras, o governo, a corrupção e o sistema político estão no centro das atenções da opinião pública.

24 de março de 2015

A política do “tudo nosso, nada deles”

*Daniel Mathias

"Há um mal econômico, que é a errada distribuição da riqueza. Há um mal político, que é o fato de a política não estar a serviço dos pobres". (José Saramago)

Recentemente, ao dialogar com uma cidadã da minha cidade natal, Caém-BA, fui inserido numa reflexão muito interessante. Palavras que nos fazem pensar, e nos causam indignação. Fazem-nos compreender o porquê de precisarmos vivenciar a política, mesmo que em nível micro, e sermos “a mudança que queremos ver no mundo”. De buscarmos, com todas as forças, reverter o quadro perverso, retrógrado e injusto representado pela política do “tudo nosso, nada deles”.

14 de março de 2015

Algumas considerações sobre questões políticas e militares


Por Diego Rabelo*

Existem, a meu ver, dois equívocos recorrentes dos analistas que tratam da questão militar no mundo. São eles: a) analistas que tratam os aspectos de um ponto de vista exclusivamente técnico, com todo o arcabouço dos números e do desenvolvimento tecnológico, como se fosse possível afastar o elemento da análise política; e b) analistas que tratam a questão exclusivamente com o prisma político, respaldado somente na diplomacia, como se fosse possível afastar o elemento técnico.

4 de março de 2015

Rui erra e o rato rei ri

*Wanderson Pimeta




É certo que não se pode caracterizar um Governo apenas pelas declarações de seus dirigentes. Contudo, a partir de falações públicas, o Governador Rui Costa aponta como será o seu governo, pelo menos do ponto de vista da disputa ideológica. Declarações que celebram a atitude da PM, como no caso da “Chacina do Cabula”, em que morreram 12 jovens, apontam que “bandidos” sentirão “a mão forte do Estado”.

As comunidades empobrecidas, de fato, sentem há décadas que a única parte forte do Estado ali é a Polícia. E ela não vem oferecer nenhum tipo de política pública.

21 de fevereiro de 2015

A assustadora e inadmissível violência dos EUA e aliados no oriente médio deve ser combatida e denunciada, mas preocupe-se quando eles perderem o interesse por lá.



Por Diego Rabelo*

“A coerência é a virtude dos imbecís” - Chateaubriand

Enquanto os EUA estiverem preocupados com o oriente médio e os infinitos conflitos que a região apresenta estaremos, relativamente, estáveis na América Latina. Ocorre que, ao que parece, a tendência é que os norte-americanos aos poucos diminuam o interesse na região do ponto de vista dos recursos minerais. Frise-se aqui que, jamais irão abandonar a região tendo em vista a sua localização estratégica próxima de seus adversários militares em potencial, Rússia e China.

11 de fevereiro de 2015

Contra o Genocídio do Povo Negro, Nenhum Passo Atrás!


O Ato em respeito a memória das vítimas da chacina da Vila Moíses, Estrada das Barreiras, Cabula, aconteceu hoje (11/02). O Ato saiu da UNEB e foi até o local que aconteceu a chacina, na Vila Moíses. A Campanha Reaja ou Será Morta. Reaja ou Será Morto esteve a frente do Ato e convocou outras entidades para se solidarizar e dar o suporte necessário as famílias das vítimas e comunidade,que vem sofrendo violências e ameaças.

5 de fevereiro de 2015

Constituinte, democracia e insurgência

*Wanderson Pimenta



"A dogmática jurídica é muito limitada frente à insurgência jurídica. E com o processo popular brasileiro estamos ante um direito insurgente." (Jesus Antonio de La Torre Rangel)

Existem alguns marcos que precisam ser observados. As manifestações de junho de 2103, quando milhões de jovens, nas mais diversas cidades brasileiras, saíram às ruas em luta por mais direitos, mesmo que de forma difusa e genérica. As manifestações de julho, organizadas pelas centrais sindicais, ainda que apresentadas pela mídia como um fracasso, que conseguiu mobilizar milhares de trabalhadores e trabalhadoras em todo o país. Ademais, existia no Brasil uma efervescência acima da média, que se deu no aumento do número de greves, bem como na duração das mesmas, e mobilizações autônomas dentro dos sindicatos, em que muitas vezes a base forçou às direções a irem além dos pactos ordeiros.

29 de janeiro de 2015

O Estopim! na 9ª Bienal da UNE!

Entre os dias 01 e 06 de fevereiro ocorrerá no Rio de Janeiro a 9ª Bienal da União Nacional dos Estudantes. Evento de máxima importância e que contará com a participação de milhares de estudantes de todo o Brasil, a militância do Coletivo O Estopim! estará em peso nesse espaço que é de fundamental importância para a articulação política, integração e contatos. 

Aproveitaremos também essa oportunidade para organizarmos a Plenária Nacional do nosso coletivo, deverá ocorrer no dia 04. Maiores informações serão dadas em breve!

19 de janeiro de 2015

Algumas observações sobre a posse de Dilma

*Wanderson Pimenta

Tenho uma leve impressão que a direção majoritária do PT esvaziou a posse da Presidenta Dilma.

Em Brasília, no dia primeiro, cerca de 10 mil pessoas acompanhavam o ato. Aquém do que poderíamos construir caso ocorresse um empenho mediano dos dirigentes. Ônibus cancelados em cima da hora, confusão nas informações atinentes às hospedagens, programação etc, foram alguns dos elementos que ajudaram a reduzir bastante a chegada de ativistas das mais variadas partes do país. O que não impediu, diga-se de passagem, o empenho de militantes que viajaram dias e dias para chegarem ao evento. Persiste, resiste e insiste, a boa e velha relutância da militância petista em desistir!

14 de janeiro de 2015

Quem ficará para apagar a luz?


* Diego Rabelo

A composição em torno das nomeações ministeriais do segundo mandato da petista Dilma Roussef foi marcada por uma forte pressão dos setores conservadores que sustentam a base do governo. A cada nova especulação as bolsas subiram e desceram como choques de adrenalina e diazepam na veia.

5 de janeiro de 2015

As intermináveis obras da UFBA e as tarefas do m.e para o próximo período

Obra do ICI condenada a demolição

*Leo Coutinho

A Universidade Federal da Bahia vem crescendo de forma exponencial nos últimos anos. Quando adere, em fins de 2007, ao Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), expande de forma significativa sua estrutura, levando, com isso, ao aprofundamento sistemático de suas contradições.